quarta-feira, 17 de junho de 2015

TÂNIA DU BOIS: SENSIBILIDADE E LUCIDEZ [Webston Moura]


Amantes nas entrelinhas (Projeto Passo Fundo, 2013)



Há leituras que nos acolhem e, suavemente, nos instigam. São estas que, com gosto especial, carregaremos pro resto da vida. É o caso das crônicas de Tânia Du Bois, textos muito humanizados, o que me lembra da autora como pedagoga. Mas, para quem já imagina algo no estilo auto-ajuda, vá tirando o cavalinho da chuva, que seus livros não são rasos, mas, sim, e muito bem, arte literária genuína, com a simplicidade e a humildade de quem, sábia em sua tranqüilidade, nos ajuda a ler o mundo e a nós, através das leituras que faz de outros escritores e poetas. É o caso deste amoroso livro, Amantes nas entrelinhas (Projeto Passo Fundo, 2013). Os temas, todos tocantes, coisas da alma, do viver de cada um e de todos, com citações que a autora costura em seu relato, o modo como interpreta o que lê, sem querer determinar verdades finais. Ao contrário, o que temos é um conjunto de diálogos que começam no livro e continuam em nós, diálogos inteligentes, sensíveis, bem humorados, de ritmo leve. Não é um estudo no sentido de um rigor, mas uma sabedoria que nos leva a um passeio por nossa subjetividade, nossas emoções, nosso cotidiano e, como não deixaria de ser, pela subjetividade de autores e autores. O projeto gráfico é bem cuidado, uma capa com esta pintura que brilha de beleza aos nossos olhos. Este livro, para mim, é uma grande gentileza! E, como andamos a carecer desta dimensão, não devemos perder tempo. Ao leitor, que esta leitura o pegue e o atravesse. A mim, assim é que foi ― e continua sendo.


Serviço:
Amantes nas entrelinhas
Tânia Du Bois
Projeto Passo Fundo


...............................
# LEIA TAMBÉM:


Webston Moura é o editor dos blogs Arcanos Grávidos e Cotidiano e Mistério, além de co-editor de Kaya [revista de atitudes literárias]. Cearense de Morada Nova, mora em Russas desde 1988. Por formação, é Tecnólogo de Frutos Tropicais. Poeta, é autor de Encontros Imprecisos: insinuações poéticas (Imprece, 2006). Com o poema "A pronúncia da minha língua pela tua flor" e o conto "A vida carpida entre os dentes" participou da revista PARA MAMÍFEROS (Fortaleza, Nº 3, Ano 3, 2011). Com o poema "Enquanto o muçambê delira a meus olhos" participou da Revista do Instituto Cultural do Oeste Potiguar - ICOP (Nº 16, setembro de 2012). Teve ainda poema publicado no projeto Trânsito de Leituras. Aprecia teatro, desenho, boa música, além de questões ligadas a temas como meio ambiente, sustentabilidade, dentre outros. Colaborou tecnicamente com o blog Literatura sem fronteiras. Mantém perfis no Google+ e no Twitter.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com sentimento sincero e responsabilidade, fique à vontade para comentar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...